segunda-feira, maio 28, 2007

A deusa e o mosquito

Torna-se o ciclo das coisas...
Para minha deusa, dei meu vitae
Fez dele seu gosto e me matou,
Eu fui esmagado...
Depois um mosquito veio por um pouco de mim,
Incomodar-me e mostrar que ainda tenho vida
E eu o esmaguei...

Augusto Sapienza (índice de posts de Augusto)

7 comentários:

Marcos Côrtes disse...

CARACA.... Magnífico! Amor objetival/narcisista a flor da pele!

Larissa Marques disse...

Essa é a luta diária, meu caro. Quem pode mais, oprime mais!
Lindo!

Larissa Marques disse...

Preciso falar com vc!

Priscila disse...

Muito bom!

Leandro Jardim disse...

Rapaz!
Tomei a liberdade de fazê-lo meu convidado dessa semana no Blog de 7 Cabeças:
www.blogdesete.blogspot.com

Esse poema é ótimo!

qualquer problema avise!
abraço!
Jardim

Marcos Côrtes disse...

Cara... lembrei que sou thanatos. Eu mato deuses. E ultimamente eu tenho matado muitas deusas... depois te falo mais disso... mas acho que vai sair um poema dai...

até : )

Elza disse...

Olá!!
Estou passando por aqui para dar meus parabéns
pela sua indicação, ao prêmio blog 5 estrelas!
Seu blog é muito original, parabéns 2x!
rsrs...
Boa semana!
=]